Taxa de Desperdício: Pode Cobrar?

Esse assunto não é novidade e sempre que abordado é sinônimo de polêmica. O fato é: quem nunca deixou uma sobra no prato no restaurante?


 

Os motivos são inúmeros e os gestores de restaurantes precisam ficar atentos aos sinais: porções mal planejadas, acompanhamentos em quantidade desproporcional, garçom mal treinado ou pouco orientado, serviço deficiente ou simplesmente nenhum destes, apenas má gestão do apetite do cliente que pediu mais comida do que sua capacidade de ingerir...

E ai? A taxa de desperdício, pode ou não ser cobrada?

Muitos afirmam que é abusiva. Segundo o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon/MA), o consumidor não é obrigado a pagar essa cobrança, de acordo com o artigo 39, inciso V, do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

“O consumidor já paga pela refeição, então não teria sentido ele ter que arcar com eventuais alimentos que ficam no prato. A prática é considerada abusiva mas é importante um consumo consciente para evitar desperdícios de alimentos,” explica Karen Barros, presidente do Procon/MA.

Eu, Andréa Mesquita, concordo em partes com este ponto de vista. Considerando pratos “a la carte” ou individuais, já que o preço pago considera uma quantidade limitada de comida, não vejo sentido em cobrar taxa alguma. Agora quando o assunto é sistema de rodízio ou o famoso “coma a vontade por X reais...”, acho imprescindível ter uma taxa naqueles casos onde a pessoa se serviu de mais alimento do que o necessário, resultando em perdas.

Perde todo mundo! O comerciante, que vê seu dinheiro literalmente indo para o lixo, perde o cliente, que enfrenta eventual aumento de preço para compensar o exagerados, perdemos em produção, em não utilizar este alimento para outra finalidade, perdemos em ter que processar mais lixo no ambiente, enfim, acho que as perdas são óbvias.

Precisamos responsabilizar cada vez mais as pessoas pelos seus atos. Por isso, eu concordo que nos sistemas onde não há quantidade de alimento pré-estabelecida pelo chef, haja sim alguma maneira de controlar o consumo, inclusive porque comer demais e sair passando mal de um rodízio (quem nunca?) também é desperdício de comida!

Comer mais do que o necessário ainda não é visto como tal, mas em breve falaremos muito disso como uma das maneiras de consumo não consciente de alimentos no mundo.

Inclusive eu não posso me eximir.... Já aconteceu comigo, em um restaurante japonês na Itália – onde nem eu falava italiano nem a garçonete falava inglês... Houve uma baita falha de comunicação e interpretação do cardápio que resultou num pedido enorme de porções... Resultado: tivemos que pagar uma taxa, mesmo depois de tentar colocar tudo pra dentro... Todos da mesa ficaram passando mal, criou-se uma situação ruim com os donos do restaurante e o pior de tudo, muita comida acabou indo para o lixo...

E você, o que acha sobre a taxa? Você cobra ou já cobrou em seu empreendimento? Já precisou pagar? Vivenciou alguma situação parecida? Conta aqui pra mim!