Evolução acelerada exige cuidado e preparação no mercado da carne

De olho nesse novo nicho de mercado, os empreendedores começam a investir em uma nova concepção de negócio - casa de carnes - um negócio que relaciona alimentação e conveniência.


O consumo de carne pelo ser humano é tão antigo quanto à história do mesmo. Acredita-se que o homem consome carne desde quatro milhões de anos a.C.

Comer não é só uma questão de matar a fome. A decisão sobre que comida colocar no prato tem implicações econômicas, ambientais, éticas, culturais, fisiológicas, filosóficas, históricas, religiosas.

A carne bovina é de extrema importância para a alimentação das pessoas devido a todas as propriedades que possui. Ela é fonte de proteínas, ácidos graxos essenciais, vitaminas do complexo B e ainda outros componentes que trabalham para a promoção e manutenção da saúde humana.

Segundo estudos realizados pelo Datamonitor, órgão de pesquisa internacional indicaram para os próximos anos algumas tendências comportamentais que devem orientar o desenvolvimento de novos produtos alimentares, adaptação ou melhoria nos que já se encontram disponíveis no mercado. Dentre elas, a conveniência, buscando economizar tempo e soluções rápidas, a preocupação com saúde, aspectos ligados à idade, à fase da vida, à renda e ao individualismo do consumidor.

No caso da carne bovina, a conveniência implicaria em melhorias nos cortes e nas embalagens, ampliação da oferta de produtos prontos ou semi prontos, assim como orientação ao consumidor no preparo de pratos rápidos; a preocupação com saúde; os aspectos ligados à idade, à fase da vida, à renda e ao individualismo do consumidor, sugerem, respectivamente, segmentos de mercado com diferentes faixas etárias e necessidades diversas, atendidos com produtos específicos; diferentes formas de organizações familiares, além de solteiros e casados, que terão reflexos em termos da escolha de produtos a serem consumidos; a democratização do consumo de produtos considerados de luxo ou supérfluos (por exemplo, produtos de conveniência); e a tendência a cuidar de si mesmo, associada ao crescimento do número de consumidores ‘solteiros’, aumentando a demanda por porções menores ou individuais de produtos.

De olho nesse novo nicho de mercado, os empreendedores começam a investir em uma nova concepção de negócio - casa de carnes é um negócio que relaciona alimentação e conveniência. Antes de montar, cheque NO MINIMO, todos estes pontos abaixo:

1.Mercado local
2.Localização
3.Exigências legais e específicas
4.Estrutura
5.Recursos Humanos – pessoal
6.Equipamentos
7.Matéria prima (homologação de fornecedores)
8.Organização do processo produtivo
9.Automação
10. Canais de distribuição
11. Investimento
12. Capital de giro
13. Custos
14. Diversificação / Agregação de Valor
15. Divulgação
16. Informações fiscais / tributárias

O empreendedor envolvido com atividades relacionadas ao comércio de carnes e alimentos precisa adequar-se a um perfil comprometido com a evolução acelerada de um setor altamente disputado por concorrentes. É aconselhável uma auto-análise para verificar qual sua situação frente a esse conjunto de características e identificar oportunidades de desenvolvimento. A seguir, algumas características desejáveis ao empresário desse ramo:


- Conhecer bem o ramo de negócio.
- Pesquisar e observar permanentemente o mercado em que está instalado, promovendo ajustes e adaptações no negócio.
- Ter atitude e iniciativa para implementar as mudanças necessárias.
- Acompanhar o desempenho dos concorrentes.
- Saber administrar todas as áreas internas da empresa.
- Saber negociar, vender benefícios e manter clientes satisfeitos.
- Ter visão clara de onde quer chegar.
- Planejar e acompanhar o desempenho da empresa.
- Ser persistente e não desistir dos seus objetivos.

- Manter o foco definido para a atividade empresarial.
- Ter coragem para assumir riscos calculados.
- Estar sempre disposto a inovar e promover mudanças.
- Ter grande capacidade para perceber novas oportunidades e agir rapidamente para aproveitá-las.
- Ter habilidade para liderar a equipe de profissionais da casa de carnes.

E aí? Tá pronto pra mudar o varejo de carnes do Brasil com a gente? Se liga nos próximos posts do TC no Instagram!

Fonte consultada: Sebrae